Diretor: 
João Pega
Periodicidade: 
Diária

Cruz Vermelha da Mealhada assinala Dia dos Namorados com ação de sensibilização


tags: Mealhada, Campanha, Violência Categorias: Vai Acontecer sexta, 01 fevereiro 2019

“Dizer Basta, Também É Um Ato De Amor”. É este o mote da campanha de sensibilização contra a violência doméstica e no namoro que a delegação da Cruz Vermelha da Mealhada irá levar a cabo no Dia dos Namorados, nas Estações de Comboios da Mealhada e da Pampilhosa, assim como no Intermarché da Mealhada.

A ação terá início de manhã, entre as 8h e as 9h30, nas estações de comboios, uma vez que estes são considerados locais e horários com “maior fluxo de pessoas”, garantiu Vítor Soares, presidente da Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação do concelho da Mealhada. Porém, a ação não ficará por aqui, os cerca de 12 voluntários envolvidos nesta missão vão desmultiplicar-se entre a estação de comboios da Mealhada e da Pampilhosa, nas quais estarão também ao final do dia, e o Intermarché da Mealhada, onde marcarão presença entre as 9h e as 10h, as 12h e as 13h30 e as 18h e 19h.

Consciente de que a violência doméstica e no namoro é um “problema real”, a Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação do concelho da Mealhada propõe-se a distribuir flyers informativos sobre como agir perante este drama social. Vítor Soares entende que “nestes casos a prevenção passa muito pela informação e pela desmistificação do problema”, que apesar de ter hoje muita visibilidade na sociedade, por via da comunicação social, ainda é causa de uma elevada percentagem de vítimas de violência diversa.

“Um estudo publicado no ano transato apontava para números assustadores, onde por exemplo, entre os mais jovens, com 15 anos de idade, 56% foram vítimas de violência, sendo que 18% foram casos de violência psicológica, 16% de perseguições, 12% de violência através das redes sociais, 11% de situações de controlo, 7% de violência sexual e 6% de agressão física por parte de um companheiro ou companheira”, recordou o presidente da delegação da Cruz Vermelha da Mealhada.

Perante os números apresentados, o desafio lançado pela Cruz Vermelha é “não ficar de braços cruzados”, até porque tal como refere Vítor Soares, “todos temos a noção que estes números são apenas a ponta do iceberg e vão muito além de simples números ou estatísticas”.

Sem referências quanto ao número de casos existentes no concelho da Mealhada, Vítor Soares garante que a Área Social da Cruz Vermelha Portuguesa, delegação do concelho da Mealhada, “está atenta a este facto”, apesar de considerar que este é ainda “um problema escondido”. Pese embora a atenção dedicada a esta questão por parte dos técnicos da Cruz Vermelha, Vítor Soares recorda que “qualquer pessoa tem o direto e o dever de denunciar este crime”.